Coronavirus: COVID-19

Ponto da situação em

(09.07.2020)

Situação actual COVID-19: novas infecções, pessoas hospitalizados, obitos

4.719 Pessoas testaram positivamente COVID-19 (3.854 residentes)
  • Diferença em relação ao dia anterior: +69
  • Porcentagem de testes positivos: 0,77%
  • Residentes: 3.854
  • Não residentes: 865
  • Média de idade (moyenne d'âge): 44 anos
  • Rácio homens/mulheres: 52,02%/ 47,98%
255.709 Número de pessoas testadas desde o início da crise (203.261 residentes)
  • Residentes: 203.261
  • Não residentes: 52.448
  • Infecções activas: 532
  • Pessoas curadas: 4.077
110 Óbitos
  • Diferença em relação ao dia anterior: +0
  • Média de idade (moyenne d'âge): 84 anos
  • Idade média (âge médian): 84 anos

(*não inclui a morte de uma pessoa 1 da região de Grand Est que foi hospitalizada no Luxemburgo)

27 Hospitalizações (COVID e suspeitos)
  • Cuidado normal: 25
  • Cuidados intensivos : 2**
  • Partidas dos hospitais: 966***

(***incluindo algumas estadias de curta duração)

1,17 taxa de reprodução Rt_eff
  • Taxa de reprodução (Rt) : 1,25

Origem: COVID-19 research Taskforce

Próxima atualização: 10.07.2020 entre 17:30 - 18:00

Fins de semana e feriados atualização reduzida para três dígitos:

  • pessoas com teste positivo para COVID-19

  • pessoas testadas desde o início da crise

  • mortes

 

O coronavirus   

Definição

Os coronavírus (CoV) pertencem a uma grande família de vírus que causam sintomas que variam do resfriado comum a doenças mais graves, como a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS) e a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS). Um novo coronavírus (nCoV) é uma nova cepa de coronavírus que ainda não foi identificada em humanos.

COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo último coronavírus descoberto (SARS-CoV-2). Este novo vírus e doença era desconhecido antes do surgimento do surto em Wuhan (China) em dezembro de 2019.

A infecção por COVID-19 permanece benigno em 80% dos casos. Por outro lado, para retardar a propagação entre a população em geral e proteger populações vulneráveis ​​e frágeis, é importante tomar um certo número de precauções.

O que é uma pandemia?

Não existe uma definição universalmente aplicável. No entanto, uma pandemia pode significar o aumento e a propagação sustentável de uma doença infecciosa humana incomum que afeta rapidamente todas as partes do mundo e afeta grande parte da população global.

Em 11 de março, a Organização Mundial da Saúde (OMS) decratou a epidemia de COVID-19 uma pandemia global.

Como se espalha o coronavírus COVID-19?

 

A infecção por COVID-19 é transmitida por pessoas com o vírus. A doença pode espalhar-se de pessoa para pessoa através de partículas muito pequenas, chamadas aerossóis e gotículas respiratórias expelidas do nariz ou da boca quando uma pessoa tosse ou espirra.

Portanto, é possível contratar o COVID-19 inalando aerossóis ou gotículas de uma pessoa doente que acabou de tossir ou espirrar. É por isso que é importante ficar a mais de dois metros de uma pessoa doente e respeitar as medidas básicas de higiene. As gotículas podem persistir por um tempo em objetos ou superfícies próximas à pessoa. Pode contractar o COVID-19 se tocar nesses objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca.

O COVID-19 é transmissível durante a relação sexual?

 

COVID-19 não é uma doença sexualmente transmissível. No entanto, estando o vírus presente nas secreções respiratórias e podendo ser transmitido por contato direto de pessoa a pessoa, a relação sexual representa condições completamente favoráveis à transmissão do vírus, se um dos parceiros estiver infectado.

Animais de estimação podem transmitir COVID-19?

Atualmente, não há evidências de que animais de estimação / animais domésticos, como cães ou gatos, possam transmitir o novo coronavírus.

No entanto, após a infecção de vários gatos (em particular nos Estados Unidos), é aconselhável aos proprietários de gatos mantê-los dentro de casa o máximo possível e evitar os contatos com as pessoas que não vivem em a mesma casa.

Os donos de cães também são aconselhados a submetê-los às mesmas regras de distanciamento social que os humanos quando estão fora de casa.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a via predominante de transmissão permanece de humano para humano.

Como animais e humanos às vezes podem transmitir doenças, as pessoas com COVID-19 devem evitar contato próximo com seus animais de estimação. Se possível, deixe-os com parentes enquanto a doença durar.

PROTEGER-SE E PROTEGER OS OUTROS

Para me expor o menos possível, como devo me comportar?

Mesmo que o governo tenha implementado um deconfinamento progressivo, isso não significa que não há mais risco de contaminação pelo vírus. De fato, enquanto não houver tratamento ou vacina eficaz, você terá que aprender a conviver com o vírus.

Esta é a razão pela qual você deve continuar a limitar suas saídas e contatos, respeitar os gestos de barreira e usar a máscara quando não for possível manter uma distância de dois metros das pessoas que não moram com você sob o mesmo teto. # não sem minha máscara

Para facilitar o rastreamento de pessoas potencialmente contaminadas, lembre-se de fazer  e atualizar uma lista de pessoas que você encontrou recentemente (familiares, amigos, vizinhos, colegas etc.).

O deconfinamento é baseado em três princípios:

• responsabilidade de todos,

• solidariedade com os outros e os vulneráveis ​​em particular,

• a disciplina de seguir rigorosamente os gestos de barreira

Os gestos “de barreira”

As mesmas precauções devem ser observadas como em qualquer outra infecção respiratória.

  1. O mais importante: lave as mãos regularmente e corretamente.
  2. Tossir ou espirrar? Faça isso em um lenço de papel ou na dobra do cotovelo. Jogue o tecido em um caixote de lixo com tampa.
  3. Evite apertar as mãos ou dar beijos.
  4. Evite o contato próximo com pessoas doentes (mantenha uma distância de pelo menos 2 metros).
  5. Evite tocar seu rosto com as mãos o máximo possível.
  6. Limitem os seus movimentos ao necessàrio.
  7. O uso de uma máscara é um gesto de barreira complementar

Gestos de barreira

Quando usar uma máscara?

 É obrigatório cobrir o nariz e a boca com uma máscara, lenço ou bandana em locais onde uma distância de 2 metros não possa ser respeitada, principalmente em lojas,  balcões,  transporte público, centro de reciclagem, feiras e salões , mercados. .As actividades culturais, desportivas e de passatempo não podem acolher um público se não forem respeitadas as condições do uso da máscara e / ou do distanciamento.

O uso de máscaras também é obrigatório para encontros de mais de 20 pessoas em que a distância de dois metros não pode ser respeitada.

Em alguns setores, essas disposições podem ser ainda mais restritivas.

Quem não precisa usar a máscara?

Crianças menores de 6 anos não precisam usar a máscara. No exterior, as crianças estão isentas de máscara.

As pessoas com necessidades especiais que, devido à sua incapacidade, não possam usar uma máscara, não se enquadram nessa obrigação desde que apliquem outras medidas de saúde para evitar a propagação do vírus. Um atestado médico atestará a impossibilidade de usar a máscara.

Os condutores dos transportes públicos não precisam de usar a máscara quando a distância entre eles e os utentes for suficiente ou quando esteverem separados por um sinal.

Quando uma actividade não é realizavél devido da máscara (por exemplo, tratamentos faciais), devem ser tomadas outras medidas sanitárias para evitar o contágio. Assim, o profissional poderá usar uma viseira em combinação com a máscara ou usar uma máscara FFP2 quando se ocupa do cliente.

As viseiras de plástico podem substituir as máscaras?

Não, as viseiras de plástico são usadas para proteger os olhos, mas não o nariz e a boca. Por conseguinte, uma viseira não pode servir por si só como protecção eficaz contra o coronavírus.


 

Como lidar com as máscaras?

As máscaras descartáveis ​​distribuídas aos residentes e os trabalhadores transfronteiriços não podem ser lavados e devem ser descartados em uma lixeira após um máximo de 8 horas de uso.Nas caixas, a data de produção e de validade são impressas no formato internacional: ano / mês / dia. 

A atribuição é feita pelas comunas.

Por outro lado, máscaras artesanais de tecido, cachecóis ou bandanas podem ser usadas várias vezes, desde que sejam lavadas a 60 graus todos os dias após o uso.

Para saber mais sobre a manipulação correta de máscaras, não hesite em consultar essas recomendações. Como usar uma máscara é apenas um meio complementar aos gestos de barreira que, mesmo que reduzam a propagação de gotículas que transportam o vírus, também podem apresentar um risco adicional de infecção quando não estiver corretamente manipulado. Esta é a razão pela qual a Organização Mundial da Saúde considera que o uso generalizado da máscara entre toda a população só se justifica se os outros gestos de barreira forem impossíveis ou difíceis de implementar.

#NãoSemAMinhaMáscara

A barba é compatível com o uso de uma máscara?

De qualquer forma, a máscara deve ser bem ajustada no rosto, caso contrário a sua eficácia não é garantida. A barba deve ser limpa e amarrada como cabelo se for longa. Isso é válido para as máscaras cirúrgicas ou artesanais (em tecido).

Em contrapartida, para garantir a estanquidade da máscara FFP2 - utilizada pelos profissionais de saúde - a barba não deve ultrapassar os contornos da máscara.

Sou trabalhador transfronteiriço, vou receber uma caixa de máscaras?

Sim, todos os trabalhadores transfronteiriços que trabalham no Grão-Ducado podem beneficiar de um lote de 50 máscaras cirúrgicas descartáveis.

O exército criou doze locais de distribuição (FR) de máscaras cirúrgicas em todo o país para trabalhadores transfronteiriços. Os sites permanecerão abertos diariamente até 24 de maio de 2020.

Todos os trabalhadores transfronteiriços recebem uma carta com um voucher para poderem recuperar as suas máscaras cirúrgicas em um dos locais de sua escolha, no prazo de duas semanas após a recepção da carta. Para evitar um influxo excessivo na mesma data, o envio de cartas foi repartido por 5 dias.

As luvas são úteis para proteger de forma eficaz do coronavírus?

Nas actividades da vida corrente, lavar as mãos regularmente protege melhor contra o coronavírus do que usas luvas. De facto, as luvas não limitam a transmissão do vírus de superfície para superfície. Assim, se tocar em superfícies ou objectos contaminados pelo coronavírus com as luvas, o vírus contaminará as suas luvas e contaminará em seguida as superfícies e os seus objectos pessoais (chaves, telefone, bolsa ou carteira, etc.) quando os manipular.  

A solução hidroalcoólica não permite desinfectar de forma eficaz as luvas. Além disso, o risco de transferir o vírus para as mãos quando se tira as luvas não é insignificante. Em suma, o uso de luvas comporta numerosas desavantagens:

  • Dá uma falsa sensação de segurança e reduz a vigilância necessária aos gestos barreira, que continua a ser essencial.

  • Pode aumentar a contaminação por coronavírus.

  • Existe um impacto negativo no ambiente, dado que a maioria das luvas não é reciclável nem biodegradável. 

Em que circunstâncias é útil usar lusar ?

A utilização de luvas de uso único é reservada aos profissionais que trabalham no sector da saúde, quando prestam cuidados que exigem o contacto físico, pele a pele, com pessoas potencialmente infectadas (ao coronavírus ou a outras patologias infecciosas). O uso de luvas no sector dos cuidados de saúde é indissociável de uma higiene das mãos regular e correcta.Fora do contexto dos cuidados de saúde a uma pessoas com uma doença infecciosa, não se recomenda a utilização de luvas.As luvas de uso único não se destinam as actividades da vida diária.

 

Recuperei do COVID-19, estou imune?

Esta questão está sob investigação, mas até agora não existem provas de que as pessoas que recuperaram do novo coronavírus sejam imunes e protegidas contra uma segunda infeção. Por esta razão, a Organização Mundial de Saúde considera que a emissão de "passaportes imunitários" para pessoas que possuem anticorpos pode proporcionar uma falsa sensação de segurança e, assim, contribuir na propagação da pandemia.

Depois de recuperar da doença, continue a usar os gestos barreira e a proteger-se a si e aos outros.

Quem são as pessoas vulneráveis?

Proteção de populaçãoes em risco 

As pessoas vulneráveis são as pessoas com mais de 65 anos ou as que já sofrem de uma das doenças abaixo indicadas. As doenças em causa são:

  • o diabetes;
  • as doenças cardiovasculares;
  • as doenças respiratórias crónicas;
  • o cancro;
  • uma fraqueza imunitária devido a uma doença ou a uma terapia;
  • Obesidade mórbida (índice de massa corporal> 40 kg / m2).

Você também pode consultar as recomendações da CSMI sobre este assunto.

Quem são as crianças vulneráveis?

A infecção pelo Covid-19 em crianças é muito diferente da dos adultos, na maioria das vezes com pouco sintomas. As formas graves de COVID-19 em crianças permanecem excepcionais. Com base nos dados atualmente disponíveis, crianças com as seguintes condições crônicas podem ser consideradas potencialmente vulneráveis:

  • certas doenças respiratórias crônicas;
  • certas patologias cardíacas;
  • certas formas de fraqueza imunológica devido a uma doença ou uma terapia.

Em caso de dúvida, não hesite em entrar em contato com seu pediatra.

Você também pode consultar as recomendações da CSMI sobre este assunto.

Sou uma pessoa vulnerável, o que devo fazer?

Fique em casa e e respeite os gestos de barreira.

Se você tem absolutamente que sair, observe as seguintes recomendações:

  • Faça as suas compras fora das horas de ponta;
  • Se possível, faça suas compras on-line;
  • Evite locais onde não é possível manter uma distância de segurança de 2 metros;
  • Evite o transporte público.

Se você precisar exercer uma atividade econômica, entre em contato com seu médico por teleconsulta. Dessa forma, você pode esclarecer a questão de continuar com sua atividade econômica. O seu patrão é obrigado a garantir-lhe a máxima proteção no seu local de trabalho, por exemplo, permitindo que você fique mais afastado possível dos outros empregados. (Informations pour les entreprises)

O novo coronavírus é perigoso para as crianças?

A infecção por COVID-19 evolui em crianças na maioria das vezes sem gravidade. Na Europa e nos Estados Unidos, as mortes causadas por COVID-19 em crianças continuam a ser a excepção e, nestes casos, sofriam de uma doença pré-existente, expondo-as a um aumento do risco.

No entanto, não se pode excluir que uma criança sofra de uma forma grave de COVID-19 ou que surja uma complicação da doença. Em caso de dúvida, um aconselhamento médico permitirá estabelecer o diagnóstico e orientar o tratamento. A doença de Kawasaki, juntamente com outras complicações excepcionalmente descritas em crianças COVID-19, são do conhecimento dos pediatras e podem ser tratadas no Luxemburgo.

 

 

O novo coronavírus representa um risco para mulheres grávidas ou fetos?

Com base no conhecimento atual, o COVID-19 não parece representar um risco específico para as mulheres grávidas. Portanto, as mulheres grávidas não estão sujeitas a medidas de proteção adicionais às recomendadas durante a gravidez.

Até o momento, o coronavírus não foi associado a anormalidades fetais ou ao risco de parto prematuro.

Fonte: ECDC: https://www.ecdc.europa.eu/en/novel-coronavirus-china/questions-answers

Fonte: CDC: https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/specific-groups/pregnant-women-and-children.html

O que fazer em caso de ansiedade?

A crise atual pode ser particularmente preocupante para as pessoas. O medo e a ansiedade às vezes podem ser esmagadores, especialmente em casos de isolamento social.

  • Escolha fontes confiáveis ​​de informação, como o site governamental.lu, e limite o tempo de consumo da mídia on-line (consulte-a 1-2 vezes ao dia).
  • Torne-se consciente da sua ansiedade. Observe quando estiver ansioso e tente entender o porquê. Concentre-se no aqui e agora, não se preocupe com as incertezas.
  • Mantenha-se próximo da sua rotina habitual
  • Fale com pessoas calmas.

 www.covid19-psy.lu

Como gerir o stress  (FR)

Como evitar a contaminação por notícias falsas?

Desde o início da crise, o coronavírus foi acompagnado por outro flagelo com efeitos às vezes fatais: notícias falsas nas redes sociais. Por exemplo, em março, várias centenas de pessoas morreram no Irã após a ingestão de metanol, acreditando que poderiam se proteger do COVID-19. O consumo de cinzas vulcânicas, cocaína ou lixívia. são outros exemplos de recomendações falsas que põe em perigo quem acredita.

Para tirar o melhor proveito, confie apenas em fontes de informação estabelecidas e não tome medicamentos sem consultar o seu médico. Para saber mais, não hesite em consultar  os seguintes sites:

https://www.europarl.europa.eu/thinktank/de/document.html?reference=EPRS_ATA(2020)651963

https://www.who.int/fr/emergencies/diseases/novel-coronavirus-2019/advice-for-public/myth-busters

https://www.consilium.europa.eu/fr/policies/covid-19-coronavirus-outbreak/fighting-disinformation/

https://ec.europa.eu/info/live-work-travel-eu/health/coronavirus-response/fighting-disinformation_fr

SINTOMAS E TRIAGEM

Quais são os sintomas?

Os sintomas variam de moderada a grave infecção do trato respiratório com febre, tosse e dificuldade em respirar e cansaço. 

Symptômes-PT

A perda de olfato (anosmia) ou sabor e, sintomas digestivos assim como erupções cutâneas, são outros sintomas da doença.

Idosos e pessoas com doenças crônicas pré-existentes são mais vulneráveis ​​e correm o risco de complicações.

O período de incubação da infecção por COVID-19, o período entre a contaminação e o início dos primeiros sintomas, é de no máximo 14 dias.

E se eu entrar em contacto com uma pessoa positiva?

Tudo depende da duração e da proximidade do contacto com a pessoa doente. Regra geral, considera-se que um contacto de pelo menos um quarto de hora, sem ter mantido a distância de dois metros e sem máscara durante esse contacto, constitui um contacto estreito e directo que quer quarentena. Certifique-se de que é testado cinco dias após o contacto; se o teste for negativo nessa altura, a quarentena poderá ser levantada no sétimo dia.

Para os contactos protegidos, basta uma auto-vigilância de 14 dias.

Para facilitar o rastreamento de pessoas potencialmente contaminadas, lembre-se de fazer  e atualizar uma lista de pessoas que você encontrou recentemente (familiares, amigos, vizinhos, colegas etc.).

A quarentena e a auto-vigilância são explicadas mais adiante na rubrica “Medidas e tratamento”.

Como funciona o rastreamento de contato de uma pessoa testada positiva?

Solicita-se à pessoa com resultado positivo que forneça à Inspeção sanitária os contactos  de todas as pessoas  próximas com quem conviveu  durante os dias que antecederam o teste e / ou antes do início dos sintomas.

Em seguida, as pessoas identificadas são informadas que estiveram em contato com uma pessoa doente (a sua identidade só é revelada com o seu acordo). Os oficiais da Inspeção sanitária informam-se sobre o estado de saúde da pessoa em questão  assim como sobre as medidas e precauções necessárias, incluindo as medidas de barreira. A partir das informações obtidas durante essa troca de contato, é decidido se  um teste COVID-19 deve ser realizado e quando.

É portanto essencial lembrar-se com quem tivemos  contato nos últimos dias.

Os dados pessoais das pessoas com resultado negativo são apagados após 72 horas, enquanto os dados relativos às pessoas com resultado positivo são mantidos por três meses.

 

 

Como sei se tenho o COVID-19 ou se tenho febre do feno?

A temporada de pólen começou a causar alergias que afetam entre quinze e vinte por cento da população. Os sintomas podem ser semelhantes aos efeitos do COVID-19, especialmente para pessoas com alergias que desenvolvem asma e problemas respiratórios.

Uma pessoa com asma crônica geralmente conhece muito bem os sintomas de sua doença e pode diferenciá-los facilmente daqueles de COVID-19. O ataque de asma geralmente não é acompanhado de febre, embora esteja presente em 80% dos casos de COVID-19. Os distúrbios respiratórios na asma ocorrem em crises  de duração limitada e são marcados por sibilos bastante típicos. Os distúrbios respiratórios no COVID-19 são progressivos e permanentes ao longo do dia e são acompanhados por tosse seca.

www.pollen.lu

Que fazer se eu tiver um problema de saúde?
  • Em caso de emergência, ligue sempre para o  112!
  • Consulte o seu médico por telefone ou por teleconsulta (eConsult).
  • Você pode ir para os serviços de emergência hospitalar.
  • Fora do horário de atendimento durante a semana (das 20:00 às 24:00 horas) e nos fins de semana e feriados (das 8:00 às 24:00 horas), pode ir a uma das três casas médicas do país. Para marcar uma consulta, contacte o número de telefone: 20 33 31 11

Os centros médicos do Luxemburgo, Esch-sur-Alzette e Ettelbruck receberão apenas pacientes que não apresentam sintomas da doença de COVID-19. Você será solicitado a vir sozinho e usando uma máscara.

 

Como funciona a teleconsulta?

A teleconsulta é uma forma de prática médica como qualquer outra. Ele permite que um médico, dentista ou parteira faça uma consulta remota por meio de tecnologias da informação e comunicação.

Para entender melhor como funciona a teleconsulta, não hesite em ver estes vídeos explicativos:

  • O primeiro fornece informações gerais e informações sobre como se registrar na plataforma de teleconsulta (tutorial eConsult).
  • O segundo explica como marcar uma consulta médica (tutorial eConsult).
  • O terceiro refere-se ao processo de teleconsulta (tutorial eConsult).
  • O quarto explica a pós-teleconsulta (e em particular o envio eletrônico de documentos) (tutorial eConsult).
Como posso consultar meu médico habitual?

A teleconsulta médica está em vigor, não hesite em favorecer este modo de consulta remota. O seu médico poderá avaliar rapidamente se é melhor você ir ao consultório ou ser reorientado para outro atendimento. Porque as atividades realizadas no consultório médico são novamente permitidas, sem distinção da natureza do problema de saúde.

 

Nesse caso, você é solicitado a ir sozinho à sua consulta, na medida do possível, e respeitar o horario da consulta, para evitar o contato com outros pacientes na sala de espera.

Àchegada, você será solicitado a desinfetar as mãos e a colocar a máscara cirúrgica à sua disposição. Um profissional vai verificar que você não tenha nenhum sinal de Covid-19.

Além disso, as instalações do consultório médico estão equipadas para garantir a máxima segurança do pessoal, médico e pacientes. São desinfetados regularmente e objetos como revistas, livros ou brinquedos infantis são removidos das salas de espera.

Retomada da atividade médica a partir do dia 4 de Maio

Preciso urgentemente de um dentista, onde posso ir?

Os consultórios médicos-odontológicos estão abertos. Consulte o seu médico por telefone ou por teleconsulta (eConsult).

Nos fins de semana, o Centro Hospitalar de Luxemburgo (CHL) oferece atendimento médico-odontológico para casos urgentes.

CHL - Centre

4, rue Ernest Barblé
L-1210 Luxembourg (Belair)

 

Que tipos de testes existem?

Existem dois tipos diferentes de testes: o teste de diagnóstico que permite estabelecer a infecção e o teste sorológico que permite determinar se você já esteve em contacto com o vírus e se produziu anticorpos contra a doença.

 

1. Testes de diagnóstico (qRT-PCR)

Este teste responde à pergunta: "Sou contagioso? "

O Direcção de Saúde recomenda este teste para os seguintes casos:

• Qualquer paciente com sintomas sugestivos de infecção por COVID-19;

• Todo o pessoal de saúde que tenha tido um contacto próximo (menos de 2 metros, durante pelo menos 15 minutos) sem equipamento de protecção individual adequado com uma pessoa confirmada como positiva ao COVID-19. Tendo em conta o período médio de incubação de 5 a 6 dias e o facto de a pessoa infectada começar a ser contagiosa 1-2 dias antes do início dos sintomas, recomenda-se que o teste seja efectuado entre o quarto e o quinto dia após o contato. Por precaução, a pessoa potencialmente infectada depois de um contacto sem protecção deve usar sistematicamente uma máscara cirúrgica no trabalho. Qualquer membro da pessoal que se torne sintomático é imediatamente demitido do trabalho e submetido a um teste.

• Qualquer pessoa hospitalizada ou residente em estruturas de acolhimento de pessoas vulneráveis, antes que o isolamento seja levantado.

• Qualquer pessoa falecida num hospital ou estabelecimento de cuidados de saúde, cujo quadro clínico seja compatível com COVID-19, sem diagnóstico etiológico, em amostra post mortem.


Este teste é igualmente utilizado no contexto do teste de amostra (“cluster”) dos sectores cuja atividade vai retomar / retomou no contexto do deconfinamento e no contexto do projecto de testes em larga escala que será executada pelo Governo no final de Maio.

 

O objetivo deste teste é procurar material genético para o vírus. Concretamente, é efectuada uma colheita por esfregaço nasal (naso-faringe) ou pela boca (oro-faringe).

 

Se precisar de ser testado, por favor, apresente a sua receita médica no laboratório de testes. Você não precisa de receita médica se for ao Centro de Saúde. Nos dois casos, você deve apresentar um documento de identificação e o seu cartão de segurança social.

 

2. Testes serológicos

Os testes serológicos podem responder à pergunta "Estive doente com COVID-19?" "

 

Esses testes permitem detectar os anticorpos causados ​​por uma infecção anterior, confirmando assim o aparecimento da imunidade adquirida (IgA, IgG) no final da infecção, e fazer dele um diagnóstico retroactivo. Eles não servem para diagnosticar uma infecção aguda.

 

Dado que a produção de anticorpos em pacientes sintomáticos só é detectável a partir da segunda semana após o aparecimento dos sintomas, não são recomendados testes serológicos como parte do diagnóstico precoce da infecção por COVID-19 na primeira semana após o aparecimento dos sintomas.

 

O teste serológico realizado por certos laboratórios privados é realizado por meio de um exame de sangue. Não é reembolsado pelo CNS.

 

Também é usado no projeto de pesquisa CON-VINCE, um estudo de prevalência em que é combinado com o teste de diagnóstico por PCR.

 

Atenção : de acordo com os dados actualmente disponíveis, o resultado positivo de um teste serológico não permite concluir que a pessoa é imunizada nem que já não pode ser contagiosa.

 

Como posso participar no rastreio em grande escala ?

Você será convidado a ser testado por correio. Nesta carta, encontrará informações sobre o procedimento, o link para o site www.covidtesting.lu e a senha que lhe permitirá fazer uma marcação on-line.

Poderá então deslocar-se, numa base voluntária, a um dos 17 centros de rastreio para realizar um teste de PCR usando um esfregaço de garganta. Este teste irá determinar se está ou não doente com a COVID-19. O resultado do seu teste ser-lhe-á comunicado por mensagem SMS. Se o resultado for positivo, você obterá todas as informações necessárias sobre a medida de isolamento e será acompanhado pelo Departamento de Saúde.

As pessoas (residentes e trabalhadores transfronteiriços) convidadas a participar no rastreio em grande escala são selecionadas de acordo com os membros de um grupo representativo da população. Portanto, você não precisa entrar em contato com as autoridades de saúde para solicitar a participação em exames de grande escala, desde que não tenha recebido um convite.

Como regra geral, se você tiver sintomas de uma infecção respiratória ou se tiver alguma dúvida sobre uma possível contaminação por COVID-19, entre em contato com seu médico. 

Para mais informações: large scale testing(FR)

 

Os testes são voluntários?

Sim, tanot o teste de diagnóstico PCR como o serológico.

Para onde devo ir para saber se tenho Coronavírus?

 

 

 

  • Em caso de emergência, ligue sempre para o  112!
  • Consulte o seu médico por telefone ou por teleconsulta (eConsult).
  • Você pode ir para os serviços de emergência hospitalar.
  •  

     

    Se necessário, entre em contato com seu médico por telefone ou através da plataforma de teleconsulta online eConsult. Não vá ao consultório médico.

    Sou trabalhador transfronteiriço, posso fazer o teste no Luxemburgo?

    Sim, qualquer pessoa segurada pelo seguro social luxemburguês e que se encaixa em um dos casos para os quais os testes são indicados pode ser testada no Luxemburgo.

    Posso mandar testar os meus filhos no Luxemburgo?

    Sim, se estiverem segurados em nome do trabalhador transfronteiriço.

    Posso mandar testar a outra pessoa da minha casa no Luxemburgo (marido/ esposa /parceira/parceiro)?

    Não, a menos que esteja segurado no Luxemburgo.

    Posso fazer o teste no Luxemburgo com receita médica de um médico francês, belga ou alemão?

    Sim, de acordo com o princípio do reconhecimento de prescrições na UE.

    O que devo fazer se o meu teste for positivo?

    A Direcção da Saúde informa as autoridades dos países transfronteiriços de que um dos seus cidadãos foi submetido a um tese positivo para que o acompanhamento possa ser efectuado no país de residência. São aplicáveis as regras do país de residência

     

     

     

    Qual é o valor de um scanner torácico se houver suspeita de COVID-19?

    A partir de segunda-feira, 30 de março, o Luxemburgo está instalando quatro contêineres equipados com tomógrafos para diagnosticar os serviços de emergência. Este é um dispositivo para uso em pacientes com problemas respiratórios graves, pois o COVID-19 pode causar pneumonia bilateral que é rapidamente fatal se não houver tratamento imediato nos cuidados intensivos.

    As imagens do scanner de tórax podem revelar sinais sugestivos de COVID-19 e, se necessário, confirmar uma suspeita de lesão pulmonar, sem aguardar o resultado do teste de PCR.

    Recomendação do Conselho Científico

    Meu médico atendente pode prescrever um teste de laboratório para o vírus COVID-19?

    Um teste de laboratório realizado com prescrição médica identifica a infecção. O seu médico está em melhor posição para apreciar a necessidade do teste para você.

    Se necessário, entre em contato com seu médico por telefone ou através da plataforma de teleconsulta online eConsult. Não vá ao consultório médico.

    Se eu sou suspeito de COVID-19 e um teste para COVID-19 é realizado: quem recebe o resultado?

    O resultado do teste é transmitido ao médico que solicitou o teste, por meios seguros, que o comunicam ao paciente sem demora. O resultado também é transmitido à Inspeção de Saúde, em aplicação da lei de 1º de agosto de 2018, relativa à declaração obrigatória de certas doenças. A pedido do paciente, o resultado também pode ser transmitido ao seu médico atendente.

    Um exame de sangue pode detectar a presença do vírus?

    Não. Atualmente, apenas um teste realizado nas secreções respiratórias está disponível para detectar a presença do novo coronavírus.

    Existe uma vacina contra o COVID-19?

    Nesta fase, ainda não há vacina. A pesquisa está em andamento.

    MEDIDAS E TRATAMENTO

    Eu fui testado positivo, qual é o procedimento a seguir?

    Se você contraiu o vírus e a sua condição médica permitir, você deve ficar em isolamento por duas semanas.

    Você receberá duas correspondências do Departamento de Saúde nos dias seguintes ao início do seu isolamento com:

    • um conjunto de máscaras para usar quando você entrar em contato com outras pessoas,
    • explicações sobre como se comportar para evitar infectar outras pessoas (por exemplo: os gestos a serem aplicados) e uma ordem de isolamento que servirá como seu certificado de incapacidade para o trabalho.
    Você também será solicitado a ser seguido remotamente, assinando voluntariamente o aplicativo on-line "Maela". Este é um sistema nacional de monitoramento remoto que permite às equipes médicas saber se você está bem ou se precisa de assistência.

    Durante duas semanas, você poderá responder diariamente a um questionário médico enviado a uma equipe de profissionais do Departamento de Saúde.

    Nesse contexto, o site www.suivicovid.lu foi configurado.
    O que significa medida de isolamento?

    O isolamento se aplica a pessoas que têm uma infecção confirmada por COVID-19. Isso evita que a pessoa infectada, que é contagiosa, espalhe a infecção para as pessoas ao seu redor.

    Isolement_header

    O isolamento é prescrito pelo médico por um período mínima de 14 dias após o início dos sintomas. Durante esse período de confinamento em casa, o contato deve ser evitado com outras pessoas e uma máscara cirúrgica deve ser usada sempre que ela estiver na presença de outras pessoas.

    O que você e seus entes queridos (vivendo sob o mesmo teto, relacionamentos íntimos) devem fazer se você estiver isolado em casa.

    O que significa uma medida de quarentena?

    A quarentena aplica-se a pessoas que tiveram contato de alto risco com uma pessoa cuja infecção é confirmada (contato cara a cara por mais de 15 minutos, contato físico desprotegido etc.).

    Autoquarantaine_header

    Essas pessoas devem ficar em casa durante 7 dias após o diagnóstico do caso confirmado - a Inspeção de Saúde entregar-lhes-á um certificado de baixa médica, se necessário. Durante esse período, todo contato desprotegido deve ser evitado com outras pessoas.

    No quinto dia, eles serão solicitados a fazer o teste do COVID-19 num laboratório de sua escolha, com a receita médica que lhes terá sido enviada. Se o teste for negativo, a quarentena termina no final do sétimo dia, portanto, dois dias após o teste.

    Nos 7 dias seguintes à quarentena, eles devem realizar o auto-monitoramento e usar uma máscara quando estiverem em contato com outras pessoas. Se os sintomas aparecerem, eles devem fazer imediatamente um novo teste e entrar em isolamento.

    O que deve fazer se estiver em quarentena

    O que significa uma medida de auto-monitarização ?

    O auto-monitorização dura 14 dias e se aplica a pessoas que provavelmente foram infectadas pelo vírus por meio do contato com uma pessoa doente. Seu objetivo é detectar os sintomas da infecção assim que eles aparecerem. A pessoa sob medidas de auto-monitoração mede sua temperatura duas vezes por dia e assegura-se que não tenha problemas respiratórios ou tosse. Durante o auto-monitarização, as atividades normais podem ser continuadas.

    Que tratamento está disponível para a infecção por COVID-19?

    Um tratamento específico não existe até o momento, embora a pesquisa esteja em andamento. O tratamento é, portanto, essencialmente sintomático, ou seja, é semelhante ao aplicado para tratar a tosse, remediar problemas respiratórios ou diminuir a temperatura.

    Para saber mais: https://sante.public.lu/fr/prevention/coronavirus-00/covid-19-bon-usage-des-medicaments-fr.pdf

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda não tomar nenhum medicamento, incluindo antibióticos, para a automedicação para prevenir ou curar o COVID-19.

    Certos tratamentos específicos estão sendo estudados e serão testados em ensaios clínicos. Assim, o Luxemburgo está participando no teste europeu chamado "Discovery", lançado em seis países, para testar quatro tratamentos. A OMS também deve lançar um grande ensaio clínico internacional.

    O Ministério da Saúde também chama a atenção para o fato de que muitos medicamentos falsificados para o COVID-19 circulam pelo canal ilegal de compras na Internet. A obtenção de medicamentos dessa maneira envolve grandes riscos e é proibida.

    Interações medicamentosas esperadas com os medicamentos usados ​​no COVID-19: www.covid19-druginteractions.org.

     

    A GESTÃO DA CRISE DE SAÚDE

    Qual é a estratégia para a saída gradual da contenção?

    O objetivo do governo é implementar uma eliminação gradual da contenção em fases, mantendo-se cauteloso para evitar o aparecimento de uma segunda onda da epidemia. Para permitir essa abertura gradual, é essencial

    • garantir sempre as capacidades hospitalares necessárias;
    • manter a possibilidade de reintroduzir medidas mais rigorosas no caso de um forte ressurgimento do vírus na população;
    • fornecer um monitoramento cuidadoso do progresso da pandemia ao longo da saída do confinamento;
    • garantir a capacidade de realizar testes de triagem e, em particular, apoiar pesquisas sobre testes destinados a medir a imunidade adquirida da população.

    Em geral, isso significa que todos os membros da sociedade devem absolutamente continuar

    • aplicar gestos básicos de barreira e reforçá-los com outras medidas específicas para minimizar o risco de disseminação descontrolada do vírus - inclusive no trabalho;
    • proteger particularmente pessoas vulneráveis.

    Medidas em lugar a partir do dia 24.06.2020 

    Recomendações sanitárias temporárias (fr)

    Porque é que o governo decidiu restringir ou proibir certas atividades, visitas, manifestações ou outras atividades?

    Considerando a evolução do coronavírus COVID-19 em nossos países vizinhos e no território nacional, é necessário adotar medidas adicionais para limitar a disseminação do vírus na população e proteger as pessoas em risco. Também é necessário adaptar o sistema organizacional do sistema de saúde para lidar com o aumento de pessoas infectadas pelo vírus. As medidas propostas levam em consideração a natureza patogênica e contagiosa do vírus COVID-19. Nesse contexto, respeitar as regras da distância nas relações interpessoais é uma das medidas mais eficazes para limitar a propagação do vírus.

    A situação também mudou a nível internacional. Em dia 11 de março, a Organização Mundial da Saúde classificou o COVID-19 como uma pandemia global. Além disso, em dia 12 de março, o Centro Europeu de Controle e Prevenção de Doenças (ECDC) emitiu uma nova avaliação de risco, salientando a "necessidade de ação imediata e direcionada" para atenuar o impacto da pandemia. Segundo esta avaliação, o risco de complicações graves para idosos e pessoas com doenças crônicas é alto.

    Para saber mais: 

    http://legilux.lu/eli/etat/leg/loi/2020/06/24/a524/jo

    http://legilux.lu/eli/etat/leg/loi/2020/06/24/a525/jo

     

    Posso ainda visitar idosos numa estrutura?

    As visitas das famílias, o acesso dos profissionais de saúde e dos profissionais que prestam cuidados à pessoa, bem como as saídas dos residentes das estruturas de alojamento para pessoas idosas, deiam de estar sujeitas a restrições, desde que sejam respeitadas as “Recomendações sanitárias, temporárias da Direcção da Saúde para as pessoas singulares no âmbito da crise sanitária ligada co Covid-19”.

    Os gestores das estruturas de alojamento para idosos são responsáveis por garantir a segurança nos seus estabelecimentos e, neste contexto, velam para que as recomendações sanitárias emitidas pela Direcção da Saúde sejam respeitadas.

    Para informações sobre o desenrolar das visitas e saídas, os interessados devem dirigir-se directamente à estrutura.

    Para mais informações, clique aqui:

    Ministère de la Famille, de l'Intégration et à la Grande Région (FR)

    Recommandations sanitaires temporaires de la Direction de la santé à l’attention des personnes physiques dans le cadre de la crise sanitaire liée au Covid-19 (FR)

    Que medidas são tomadas nas estruturas hospitalares?

    A partir de 4 de Maio, os hospitais operam uma retoma muito progressiva das suas actividades médicas, cirúrgicas e de cuidados, de acordo com as necessidades prioritárias dos pacientes. As actividades ambulatórias são regidas pelo respeito de  regras estritas (escalonamento de pacientes para evitar o congestionamento das salas de espera, respeito estrito dos horários, etc.).

    Até 3 de Maio, os hospitais destacaram o seu pessoal principalmente para actividades de emergência e agudas. A fim de reduzir o risco de circulação do vírus nos hospitais, foram anuladas as actividades médicas, cirúrgicas e de cuidados que não eram indispensáveis a curto prazo.

    Posso visitar familiares no hospital?
    • Se desejar visitar um familiar hospitalizado por motivos que não sejam a doença COVID-19, saiba que são permitidas, no máximo, duas visitas por dia durante uma hora cada.

    Cada hospital prevê um screening obrigatório à entrada do estabelecimento, bem como o uso da máscara e a desinfecção das mãos. Para evitar a presença simultânea de vários visitantes num quarto com duas camas, é proposto um sistema de marcação.

    • As visitas de doentes hospitalizados devido ao COVID-19 (casos suspeitos ou comprovados) continuam a ser proibidos, excepto para excepções como, por exemplo, situações de fim de vida ou de perturbação psicológica importante com aviso médico.

      Os visitantes pertencentes à categoria de pessoas vulneráveis não poderão deslocar-se para uma visita ao hospital, excepto se terem uma autorização devidamente fundamentada pelo o médico.

      O estabelecimento hospitalar pode suspender as visitas se as circunstâncias epidemiológicas o exigirem.

     

    Nossos hospitais e serviços de saúde continuam preparados para receber muitos pacientes?

    Os nossos hospitais mantêm-se preparados, estando o dispositivo posto em prática no início da crise sempre activado.

    Quais actividades são proibidas?

    As discotecas não podem reabrir as suas portas, uma vez que o uso da máscara e as regras de distanciamento não podem ser respeitadas.

    Não são admitidos salões e feiras organizadas no interior, em ambientes fechados.

    Quais actividades são permitidas sob condição de respeitar o uso de uma máscara ou distanciamento físico?

    Desde 29 de maio, os restaurantes, cafés, bares e locais para eventos desportivos ou culturais, como teatros, centros culturais, salas de concertos, cinemas e locais de culto, podem acolher de novo o público.

    Pode organizar ou participar em eventos públicos com mais de vinte pessoas em ambientes fechados ou ao ar livre (eventos culturais ou desportivos, congressos etc.), desde que se apliquem estas duas regras:

    • As pessoas sentam-se em lugares que lhes foram designados,
    • Ou há dois metros de distância entre as pessoas, ou elas usam a máscara.

     

    A utilização da máscara é obrigatória para as pessoas que enquadram o evento e para as que circulam no local.

    O cumprimento destas medidas é igualmente essencial para permitir o funcionamento dos restaurantes, cafés, bares, salões de consumo e cantinas de empresas (FR). Se o espaço entre as mesas lado a lado não permitir uma distância de pelo menos 1,5 metros, devem ser separadas por um dispositivo como p.ex um pára-vento um painel .


    O número de lugares é limitado a dez por mesa, a menos que os convidados pertençam à mesma casa. Uma vez instalados, os clientes podem retirar as suas máscaras, mas que devem ser usadas para poderem circular ou sair do estabelecimento. Os funcionários que estão em contacto com os clientes deverão manter as suas máscaras durante todo o serviço.

    Todos os restaurantes, bares e cafés fecham à meia-noite.

    A condição dos lugares sentados atribuídos não se aplica a manifestações (exercício do direito de manifestar), nem a cerimónias de funeral no exterior.Os sectores de culto, de cultural e desportivo não estão vinculados a esta condição durante o exercício das suas actividades.

    Além disso, pode continuar ou assistir a actividades de passatempo ou desportivas (FR) sem contacto físico com outras pessoas e desde que repeite as condições adequadas de segurança, distanciamento e higiene.

    Sâo de novo possíveis competições para os desportos individuais sem contacto físico.No entanto, estão previstas excepções para os desportivos de elite e os programas organizados pelo Sportlycée.

    As espaços wellness (saunas, hammam) permanecem fechados, a menos que recebam apenas uma pessoa ou membros da mesma casa ao mesmo tempo.

    As áreas de recreio ao ar livre permanecem fechadas ao público em geral, enquanto as áreas de recreio interior permanecem fechadas para os menores. A organização dos salões e das feiras continua interrompida.

    As aréas de jogos exteriores e interiores estão abertas ao público em geral.As crianças com menos de 13 anos não precisam de usar a máscara nas aréas de jogos ao ar livre. Nas aréas de jogos interiores, as crianças com mais de seis anos devem usá-la.

    As feiras, salões e mercados ao ar livre podem acolher público. A utilização de uma máscara ou de qualquer outro dispositivo que permita cobrir o nariz e a boca de uma pessoa é obrigatória a qualquer momento para os expositores e para os visitantes quando não puder ser respeitada uma distância interpessoal de dois metros.

    São proibidos os contactos físicos no contexto de actividades culturais, excepto para actores profissionais de teatro e de cinema, bem como bailarinos profissionais. Nestes casos, um regulamento grão-ducal fixára os meios de prevenção a aplicar, como por exemplo, regras sanitárias de despistagem, de distanciamento e de desinfecção.

    Para mais informações:  Recomendações para pessoas físicas  (FR) 

     

     

     

    Para todas as outras questões relacionadas ao COVID-2019, consulte os sites do Governo luxemburguês www.covid19.lu, Centro Europeu de Prevenção e Controle de Doenças (ECDC) www.ecdc.eu ou a Organização Mundial de Saúde (OMS) www.who.int

    Posso viajar para o estrangeiro?

    Sim, mas informa-se antes do início da sua viagem sobre todas as medidas e restrições em vigor no país de seu destino.

    Para planejar as suas viagens na Europa, a Comissão Europeia lançou a plataforma Reabrir da UE , que fornece informações em tempo real sobre fronteiras, os meios de transporte disponíveis, as restrições de viagem, as medidas de saúde pública e de segurança (distância física ou uso da máscara, por exemplo), bem como outras informações práticas para os viajantes.


    De um modo geral, se você quiser saber mais sobre a situação de segurança de um destino fora da União Europeia, consulte os avisos de viagem de nossos países vizinhos, seguindo estes links:

    Para obter informações práticas sobre o país ou países para onde pretende ir ou para obter ajuda rápida em caso de inconvenientes no estrangeiro, pode declarar a sua estadia antes de partir para o Ministério de Relações Exteriores e Europeias, no âmbito da iniciativa "Lëtzebuerger am Ausland"


    Para mais informações, aqui estão os números de contacto do Ministério dos Negócios Estrangeiros e da Europa:

    Durante as horas de escritório: 247-82386

    Fora das horas do exritório e no fim de semana: 247-82300

    Dernière mise à jour